segunda-feira, 4 de julho de 2011

TRISTE REALIDADE

RELATO DE UM MISSIONARIO INDIANO CHAMADO BAKHT SINGH

“As igrejas indianas têm um grande peso de intercessão pela America e estão orando para que Deus visite este país com o reavivamento...

Vocês lamentam tanto a nossa pobreza material na índia, enquanto nos indianos, que conhecemos ao Senhor, lamentamos a pobreza espiritual da America. Oramos para que Deus lhes de o ouro refinado pelo fogo, o qual Ele prometeu a todos quantos conhecem o poder da sua ressurreição.

Em nossos cultos, gastamos de quatro a seis horas em oração e adoração, enquanto nosso povo passa toda a noite esperando no Senhor em oração. Mas na America, após uma hora de culto, vocês começam a olhar para o relógio. Oramos para que Deus possa abrir-lhes os olhos para compreenderem o verdadeiro significado da adoração.

Para atrair pessoas aos cultos vocês dependem de grandes divulgações, cartazes, anúncios e de pregadores reconhecidamente ungidos e talentosos. Na índia tudo o que nos possuímos é o Senhor Jesus, e ele nos basta. Antes de uma reunião evangélica na índia, jamais anunciamos quem será o pregador. Quando as pessoas vêm, elas querem buscar ao senhor e não, um ser humano ou um palestrante famoso e especial. Em nossas reuniões, temos aproximadamente 12 mil pessoas unidas para adorarem ao senhor Jesus cristo e terem comunhão umas com as outras. Estamos orando para que as pessoas na America possam também vir às igrejas famintas pela presença de Deus e não, meramente desejosas de algum tipo diferente de entretenimento, ouvindo belos corais ou talentosos cantores.”

“SRA QUE TEMOS NOS EXTRAVIADO A PONTO DE VISTA SER IMPOSSIVEL VOLTAR AOS PROCERDIMENTOS DA IGREJA PRIMITIVA? ESTE É UMA QUESTAO DELICADA.”

EXTRAIDO DO LIVRO: ORAÇÃO DE AVIVEMETNO DE LEONARD RAVENHILL.

domingo, 3 de julho de 2011

terça-feira, 22 de março de 2011

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Capitulo 19 parcial do livro “ PORQUE TARDA O PLENO AVIVEMENTO” por Leonard Ravenhill

Como Estiver a igreja, Assim Estará o Mundo.

Nesta era, nesta “meia-noite” em que vivemos, precisamos de crentes cheios do ardor de Deus.

No dia de pentecostes, o fogo do Espírito Santo que desceu sobre aquele grupo, incendiou o coração de cada um deles. E a igreja teve início ali, com aqueles homens agonizando. Hoje, ele está terminando , com seus lideres nos restaurantes, fazendo planos.
Ela começou num avivamento e está terminando num ritual.Começou com uma força viril; hoje termina estéril.Os membros fundadores eram indivíduos de grande fervor.Ah irmãos, nossa maior necessidade agora é de homens com o coração abrasado.
Os crentes precisam ser colunas de fogo, guiadas por Deus, para orientarem uma geração desorientada.


Precisamos de fervorosos Paulos para estimular os temerosos Timóteos; de pessoas em chamas para brilhar mais dos que têm fama. precisamos de crentes fortes para dirigir noites de oração. Precisamos de verdadeiros profetas, que mos alertem sobre os lucros ilusórios “Que aproveita ao homem, ganhar o mundo inteiro e perder sua alma?”(mc 8:36)

É triste ver, nestes dias do fim, esses conferencistas que pregam uma crença fácil. O clamor geral deveria ser como o do profeta : “tocaia trombeta em Sião, promulgai um jejum santo, proclamai uma assembléia solene...Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor,” (Jl 2:15.17)...

...Se um pregador não possui o Espírito de Deus, seu gabinete de estudos não passa de um laboratório onde ele disseca doutrina e cultiva dogmas sem vida. É preciso unção para ensinar; a verdade tem que ser apresentada de forma incisiva; e a palavra de conforto deve transmitir vida, em vez de deixar o ouvinte sonolento...

sábado, 15 de janeiro de 2011